top of page

Patriarcas, Escravos, Guerreiros e Reis


A maioria dos turistas brasileiros viaja à Israel com um roteiro caracteristicamente cristão. É maravilhoso isso ser possível após dois milênios. Muitas construções romanas resistiram ao tempo e oferecem uma boa ideia sobre muitos aspectos da vida e da história de Jesus Cristo. Além disso, montanhas, vales e corpos d’água como o Mar da Galiléia e o rio Jordão existem e permitem experiências emocionantes e panoramas lindíssimos.

Muito há que se conhecer do primeiro século e do cristianismo em Israel. Por isso, é necessária uma viagem longa ou então várias viagens curtas com roteiros diferentes. Essa é a melhor opção se você ainda não conhece a Terra Santa. A Renova tem dezenas de roteiros nesse formato. Escolha em nosso site e tenha uma experiência maravilhosa com essa Terra Divina!

Site da Renova Turismo

Entretanto a história bíblica anterior, relativa ao período do Velho Testamento também pode ser "ilustrada ao vivo". Se você já visitou Israel e o Egito algumas vezes, a Renova Turismo preparou uma expedição que vai te dar a chance de conhecer esses países com um outro viés.

Mudando o foco do convencional, você se surpreenderá com a quantidade de sítios arqueológicos relacionados com a Tanakh, no Egito, Jordânia e Israel. Muitos são parques nacionais com estrutura turística, outros oferecem aventura com veículos 4x4 e, mesmo assim, são pouco visitados apesar da grande importância histórica e bíblica.

No Egito, podemos ver o Barh Yussuf, um canal artificial do rio Nilo, cuja construção é atribuída à José, filho de Jacó. É possível visitar pirâmides e construções relacionadas à faraós bíblicos, como por exemplo a Pirâmide negra de Amenesnhat III, o possível faraó servido por José.

Ainda no Egito é possível andar por ruínas de assentamentos de povos semitas que podem muito bem terem sido os israelitas. Em Kahun e Avaris há pistas arqueológicas de uma sequencia temporal de fartura e prosperidade seguidas por privação e desnutrição e encerradas com o abandono repentino do local. Muito parecido com o relato bíblico, não? Nas areias da praia de Nuweiba, a bíblica Pi-Hairote, é possível contemplar a visão de Moisés e dos israelitas frente ao mar vermelho no local da travessia milagrosa.

Sítio Arqueológico de Aváris, Egito.

A Jordânia, país jovem e cujas terras já foram israelitas, oferece uma enormidade de sítios mencionados nas escrituras. Podemos começar com o famoso deserto do Arava e Petra, a bíblica cidade dos horitas. É possível conhecer o que restou da Hesbon do rei Seom, vencido por Moisés ao tentar impedir o avanço da multidão israelita que ia rumo à Israel e ter a vista que Moisés teve do alto do monte Nebo. Memoriais marcam o local de sepultamento de Aarão e Miriam e foi na Jordânia que Jacó foi chamado de Israel. Sim, é possível visitar o Vau de Jaboque, Peniel.

Vista à partir do Monte Nebo, Jordânia.

Israel também oferece muitas alternativas maravilhosas para quem já conhece bem os roteiros tradicionais. É possivel andar pelas ruínas das cidades refúgios e povos conquistados por Josué como Tel Hazor, Gilgal Refaim, Tel Dan e Tel Kedesh. Você também pode visitar as heranças tribais de Tel Yishsachar (tribo de Issacar) e Tel Maresha (tribo de Judá).

Sítio Arqueológico de Tel Dan, Israel.

Monte Gilboa e Arbel podem reservar vistas surpreendentes dos vales ao redor. Relembre de José nos dois poços de Tel Dothan. Sebástia, a Samaria bíblica e o Monte Gerezim também são sítios bíblicos muito relevantes. As pedras de Shiló, e os sítios de Ebenezer e Nabi Samwil nos fazem refletir sobre o sacerdote Eli e o profeta Samuel assim como Beith-El nos faz lembrar do sonho de Jacó. Todos locais reais e “visitáveis”.

Túmulo do profeta Samuel, Israel.