Tel Dan vai surpreender você!

Sem dúvida Tel Dan é um dos locais mais importantes para a arqueologia bíblica. As primeiras escavações aconteceram entre 1966 e 1990. E a segunda fase de escavações começaram em 2005 e permanecem até hoje.


Apesar de levar o nome de um dos filhos de Israel, a história de Dan remonta ao Neolítico, cerca de 5000 a.C. . No tempo dos cananeus o local era chamada Laish ou Leshem e é mencionado assim em diversos relatos de conquistas egípcios, sírios e iraquianos.


Tel Dan

A primeira vez que a cidade é mencionada na Bíblia é em Gênesis 14:14. “Quando Abrão ouviu que seu parente fora levado prisioneiro, mandou convocar os trezentos e dezoito homens treinados, nascidos em sua casa, e saiu em perseguição aos inimigos até Dã.”


Além das muralhas, ídolos de barro e metal e um altar canaanita, foi escavado em Dan o portal da cidade que Abrão conheceu e, provavelmente, adentrou. Esse portão é considerado o Portão Arqueado mais antigo do mundo. Datado do século 18 a.C. e ladeado por duas torres de 7 metros de altura, o portal de arcos triplos com 2,4 metros de diâmetro foi totalmente construído em tijolos de barro e tem resistido por quatro milênios.

E quando a tribo de Dan entra na jogada? Em Josué 19.40-46, vemos que, na divisão da Terra, Dan fica com um território na planície costeira de Israel e não no extremo norte. Na sétima vez, a sorte saiu para Dã, clã por clã. O território da sua herança abrangia: Zorá, Estaol, Ir-Semes, Saalabim, Aijalom, Itla, Elom, Timna, Ecrom, Elteque, Gibetom, Baalate, Jeúde, Bene-Beraque, Gate-Rimom, Me-Jarcom e Racom, e a região defronte de Jope.


Divisão do Reino Original com Dan na Planície Costeira.

Mas, ali viviam os filisteus, povo com tecnologia bélica avançada. Então os versículos 47 e 48 nos contam que a tribo de Dã teve dificuldade para tomar posse do seu território. Por isso atacaram Lesém, conquistaram-na, passaram-na ao fio da espada e a ocuparam. Estabeleceram-se em Lesém e lhe deram o nome de Dã, por causa do seu antepassado. Essas cidades com os seus povoados foram a herança da tribo de Dã, clã por clã.


Uma parte da tribo ainda dominou e assentou-se numa pequena região do território sorteado. Inclusive Sansão fazia parte dos que ficaram. Mas, outra parte da tribo procurou outro lugar além da Terra estabelecida por Deus, enviando espias. Os cinco homens partiram e chegaram a Laís, onde viram que o povo vivia em segurança, como os sidônios, despreocupado e tranqüilo, e que gozava prosperidade, pois a sua terra não lhe deixava faltar nada. Viram também que o povo vivia longe dos sidônios e não tinha relações com nenhum outro povo. Quando voltaram a Zorá e a Estaol, seus irmãos lhes perguntaram: "O que descobriram? " Eles responderam: "Vamos atacá-los! Vimos que a terra é muito boa. Vocês vão ficar aí sem fazer nada? Não hesitem em ir apossar-se dela. Chegando lá, vocês encontrarão um povo despreocupado e uma terra espaçosa que Deus pôs nas mãos de vocês, terra onde não falta coisa alguma! " Juizes 18:7-10


Divisão do Reino com Dan ocupando a cidade de Laish

A parte superior das muralhas que vemos hoje foram refeitas pelos israelitas, mas toda a parte inferior tem mais de 3400 anos e já estava ali quando os damitas chegaram em 1370 a.C. .

Dan foi uma tribo que adorava ao Deus de Abraão e também aos deuses locais numa espécie de sincretismo religioso que misturava levitas e ídolos. Há um altar pagão em frente a porta da cidade que jamais foi destruído. Eles nunca foram fiéis à religião de Moisés. Aliás nem mesmo a família do grande Moisés resistiu à idolatria de Dan. Deram à cidade anteriormente chamada Laís o nome de Dã, em homenagem a seu antepassado Dã, filho de Israel. Eles levantaram para si o ídolo, e Jônatas, filho de Gérson, neto de Moisés, e os seus filhos foram sacerdotes da tribo de Dã até que o povo foi para o exílio. Ficaram com o ídolo feito por Mica durante todo o tempo em que o santuário de Deus esteve em Siló. Juizes 18.29-31



Dan ficou marcada numa expressão que aparece várias vezes na Bíblia: ‘de Dan até Berseba”. Sempre que o escritor queria se referir à toda extensão do reino unido de Israel usava essa expressão. Veja só esse exemplo: Todo o Israel, de Dã até Berseba, reconhecia que Samuel estava confirmado como profeta do Senhor. I Samuel 3:20.


Uma parte importante dos achados arqueológicos diz respeito ao Reino dividido. Após a morte de Salomão, Jeroboão retorna do exílio no Egito e divide o reino que estava nas mãos de Roboão, filho de Salomão e péssimo rei.


Jeroboão consegue reunir dez tribos sob seu comando e Deus promete abençoa-lo como fez com a casa de Davi, mas com a condição ide ser fiel como Davi havia sido. Acontece que Jerusalém ficava no Reino do Sul, em Judá. E nela estava o Templo, único lugar permitido por Deus para adoração e sacrifício. Assim, Jeroboão temeu que, ao descer todos os anos para celebrar as festas e fazer o sacrifícios, o povo de Israel se voltasse contra ele, reunindo-se ao reino do Sul.


Então, Jeroboão recusou a proposta de Deus e construiu dois altares, um no extremo sul, Betel e outro no extremo norte, Dan. Jeroboão pensou: "O reino agora provavelmente voltará para a dinastia de Davi. Se esse povo subir a Jerusalém para oferecer sacrifícios no templo do Senhor, novamente dedicarão sua lealdade ao senhor deles, Roboão, rei de Judá. Eles vão me matar e voltar para o rei Roboão". Depois de aconselhar-se, o rei fez dois bezerros de ouro e disse ao povo: "Vocês já subiram muito a Jerusalém. Aqui estão os seus deuses, ó Israel, que tiraram vocês do Egito". Mandou por um bezerro em Betel, e o outro em Dã. E isso veio a ser um pecado, pois o povo ia até Dã para adorar aquele bezerro. Jeroboão construiu altares idólatras e designou sacerdotes dentre o povo, apesar de não serem levitas. I Reis 12.26-31


Complexo cultivo de Jeroboão em Dan.

Em I reis 15.20 a Bíblia relata que Dan foi conquistada por Ben-Hadade da Siria. Ben-Hadade aceitou a proposta do rei Asa e ordenou aos comandantes das suas forças que atacassem as cidades de Israel. Ele conquistou Ijom, Dã, Abel-Bete-Maaca e todo o Quinerete, além de Naftali.


Em uma pedra de basalto, em segundo uso numa torre de guarda de Dan, foram encontradas inscrições importantíssimas. Nelas um rei arameu comemora vitória sobre um reino local e aparecem os termos Reino de Israel e Casa de Davi. Não há assinatura, mas pela linguagem, ciurcunstâncias mencionadas, data e local encontrado é provável que tenha sido Bem-Hadade ou seu pai Hazael, inimigos do Reino do norte, Israel. Essa Pedra é muito importante porque foi a primeira vez que se encontrou evidência arqueológica fora da Bíblia mencionando o nome do rei Davi. Hoje a Estela de Dan encontra-se no Museu de Israel.



A tribo de Dan permaneceu nessa cidade até o ano de 722, quando todo o Reino do Norte, Israel, foi exilado pela Assíria.


Hoje Tel Dan está em uma reserva florestal exuberante. Outra importância do lugar é a nascente do rio Dan, principal afluente do Jordão que jorra 250 milhões de metros cúbicos de água de degelada do Hermon por ano. O lugar é maravilhoso e oferece trilhas no meio da vegetação e passando por piscinas naturais.

É uma experiência maravilhosa quando avistamos pela primeira vez as muralhas bem preservadas de Dan. Parece um cenário montado para um filme de época.



Antes de adentrar a cidade é possível ver o altar pagão que mencionei anteriormente muito  bem preservado. As portas da cidade foram feitas pelos israelitas e são construídas de forma estratégica a evitar invasões.

Logo que entramos o portão nos deparamos com uma estrutura elevada com quatro pedras entalhadas na forma redonda de onde subiam armações para uma tenda. Ali era posto o trono do Rei Jeroboão quando vinha à cidade julgar. Veja só como era normal que anciãos, juízes e o próprio Rei julgasse na entrada da cidade: Enquanto isso, Boaz subiu à porta da cidade e sentou-se ali exatamente quando o resgatador que ele havia mencionado estava passando por ali. Boaz chamou-lhe e disse: "Meu amigo, venha cá e sente-se". Ele foi e sentou-se. Boaz reuniu dez líderes da cidade e disse: "Sentem-se aqui". E eles se sentaram. Rute 4.1,2

A caminhada revela diversas estruturas e é fantástico estar numa cidade tão antiga e mencionada tantas vezes na Bíblia.


Dan tem muitas atrações a oferecer e, por fim, chegamos ao Lugar Alto, local de culto da cidade. É possível ver os alicerces e a escada do altar de Jeroboão mencionado na Bíblia. Uma armação moderna em metal dá idéia das dimensões do enorme altar.

É possível ver uma estrutura de pedra parecida com um poço. Os arqueólogos acreditam que era o local onde o sacerdote se preparava para o sacrifício.

Também é possível ver em frente do altar uma escadaria em cujo topo ficava o recinto o onde estava o bezerro de ouro de Jeroboão.

Bem no meio da estrutura do altar do tempo israelita ainda é possível ver o alicerce de um altar menor, possivelmente, do altar onde Jonatas, o neto de Moisés, oferecia sacrifícios no tempo dos juízes.



Parece que Dan estava destinada à idolatria. Até mesmo no período helenístico, há indicações de que o local ainda servia à adoração de ídolos. Algumas paredes que circundam o local do altar são desse período e foi encontrada uma placa escrita em grego e aramaico: " Ao deus que está em Dan, Zoilos fez uma promessa."



Após a guerra da independência, foi instalado um posto militar em Tel Dan para proteger a fronteira, um kibutz e as fontes de água. É possível ver restos das trincheira, bunkers e também um trator sírio que estava sendo usado para desviar as águas.


Parece que a profecia que Jacó fez sobre o futuro da tribo de Dan estava correta. Dã será uma serpente à beira da estrada, uma víbora à margem do caminho, que morde o calcanhar do cavalo e faz cair de costas o seu cavaleiro. Genesis 49.17.



Dr. Felipe Silva

Tour Leader Renova Turismo.

Cirurgião-Dentista Artesania Studio Oral


"A longínqua e empoeirada Terra de Israel é o palco das histórias bíblicas. Sonho de milhares de pessoas, reserva emoções inesquecíveis a todos aqueles que aceitam com fé o seu chamado."

225 visualizações

Renova Turismo 

Rua Orlando Carpino, 326 - Campinas/SP

+55 19 3241-2424 - 19.99470.7207 - 19.99471.8930 - 19.99460.7704

contato@renovaturismo.com.br

 

© 2016 by Renova Turismo. Criação: Endorfina Design