O Cenáculo de Jerusalém


O Cenáculo de Jerusalém é o lugar tradicional da última páscoa que Jesus e seus discípulos celebraram antes de sua prisão e morte. A palavra latina cenaculum significa em cima, e também pode ser que derive da palavra cena que significa jantar.

O quarto em estilo gótico do século XIV fica no andar superior de um prédio localizado no Monte Sião e recebe milhares de turistas e peregrinos cristãos por ser ali o local onde Jesus instituiu a eucaristia ou santa ceia. E, onde quer que entrar, dizei ao senhor da casa: O Mestre diz: Onde está o aposento em que hei de comer a páscoa com os meus discípulos? E ele vos mostrará um grande cenáculo mobilado e preparado; preparai-a ali. E, saindo os seus discípulos, foram à cidade, e acharam como lhes tinha dito, e prepararam a páscoa. Marcos 14:14-16

Foi lá no Cenáculo de Jerusalém que Jesus lavou os pés dos discípulos e revelou o traidor. Jesus sabia que o Pai havia colocado todas as coisas debaixo do seu poder, e que viera de Deus e estava voltando para Deus; assim, levantou-se da mesa, tirou sua capa e colocou uma toalha em volta da cintura. Depois disso, derramou água numa bacia e começou a lavar os pés dos seus discípulos, enxugando-os com a toalha que estava em sua cintura. Chegou-se a Simão Pedro, que lhe disse: "Senhor, vais lavar os meus pés? " Respondeu Jesus: "Você não compreende agora o que estou lhe fazendo; mais tarde, porém, entenderá". Disse Pedro: "Não; nunca lavarás os meus pés". Jesus respondeu: "Se eu não os lavar, você não terá parte comigo". Respondeu Simão Pedro: "Então, Senhor, não apenas os meus pés, mas também as minhas mãos e a minha cabeça! " Respondeu Jesus: "Quem já se banhou precisa apenas lavar os pés; todo o seu corpo está limpo. Vocês estão limpos, mas nem todos". Depois de dizer isso, Jesus perturbou-se em espírito e declarou: "Digo-lhes que certamente um de vocês me trairá". Seus discípulos olharam uns para os outros, sem saber a quem ele se referia. Um deles, o discípulo a quem Jesus amava, estava reclinado ao lado dele. Simão Pedro fez sinais para esse discípulo, como a dizer: "Pergunte-lhe a quem ele está se referindo". Inclinando-se para Jesus, perguntou-lhe: "Senhor, quem é? " Respondeu Jesus: "Aquele a quem eu der este pedaço de pão molhado no prato". Então, molhando o pedaço de pão, deu-o a Judas Iscariotes, filho de Simão. Tão logo Judas comeu o pão, Satanás entrou nele. "O que você está para fazer, faça depressa", disse-lhe Jesus. João 13:3-10;21-27

O local também é associado à eleição de Matias como discípulo no lugar de Judas Iscariotes. Então voltaram para Jerusalém, do monte chamado das Oliveiras, o qual está perto de Jerusalém, à distância do caminho de um sábado. E, entrando, subiram ao cenáculo, onde habitavam Pedro e Tiago, João e André, Filipe e Tomé, Bartolomeu e Mateus, Tiago, filho de Alfeu, Simão, o Zelote, e Judas, irmão de Tiago. E, lançando-lhes sortes, caiu a sorte sobre Matias. E por voto comum foi contado com os onze apóstolos. Atos 1:12,13,26

E por fim, o Cenáculo de Jerusalém foi o local do Pentecostes Cristão. E, cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos concordemente no mesmo lugar; E de repente veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados. E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles. E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem. E em Jerusalém estavam habitando judeus, homens religiosos, de todas as nações que estão debaixo do céu. E, quando aquele som ocorreu, ajuntou-se uma multidão, e estava confusa, porque cada um os ouvia falar na sua própria língua. E todos pasmavam e se maravilhavam, dizendo uns aos outros: Pois quê! não são galileus todos esses homens que estão falando? Como, pois, os ouvimos, cada um, na nossa própria língua em que somos nascidos? Atos 2:1-8

Escavações arqueológicas descobriram que a sala construída pelos cruzados ergue-se dos fundamentos de uma sinagoga frequentada pelas primeiras comunidades judaico-cristãs. As paredes norte, sul e leste são originais.

Período bizantino

Várias centenas de anos depois, durante o período bizantino, os primeiros cristãos construíram várias igrejas ao redor do Monte Sião. O segundo nível neste local era um edifício bizantino, conforme determinado por uma pesquisa arqueológica realizada sob o túmulo de David, no andar inferior. Há ruínas da igreja de Teodósio (Igreja dos Apóstolos, 394 d.C.), da Santa Igreja de Sião (415 d.C.) e da igreja do Patriarca Modesto (614d.C.).

Conquista persa

Após a conquista persa no 7º C, a estrutura foi destruída e a área permaneceu em ruínas desde o sétimo dia até o século XII. Em 1009 foi destruído pelos muçulmanos e 1219 pelo sultão de Damasco.

Cruzados

Os cruzados reconstruíram algumas das estruturas no Monte Sião, bem como muitas partes de Jerusalém. A atual sala do Cenáculo de Jerusalém é uma dessas 12 estruturas cruzadas. Em 1333 os frades franciscanos compraram o local com dinheiro presenteado pelos soberanos de Nápoles.

Idade Média

Por uma falha do arquiteto otomano, a área do monte Sião fica fora da muralha de Jerusalém datada do século XVI, mas os turcos consideravam o local sagrado por considerarem o rei Davi um profeta.

Em 1524 d.C. os otomanos baniram os monges franciscanos, entregaram as chaves do Cenáculo do Monte Sião a uma família muçulmana que passou a morar ao lado do local. Transformaram a a grande sala em uma mesquita, como atestado pela inscrição em pedra embutida na parede oriental, perto de uma porta. Os franciscanos se acomodaram em um convento ao lado do Cenáculo, chamado Convento São Francisco.

Os otomanos, sob o sultão Suleiman, o Magnífico, acrescentaram mudanças que incluíam um canto de oração, uma mihrabe apontando para o sul, o sentido de Meca e Medina, vitrais coloridas com versos do corão e orações dirigidas ao profeta Davi. Também foi construída uma Muezzin (torre) no telhado. A mesquita foi nomeada E-Nebi Daud, que significa “o profeta Davi”.

Hoje

Em 1948, o local foi aberto a cristãos e todas as pessoas que quiserem visita-lo e hoje, a parte inferior é ocupada pela Igreja da Dormição e pela sinagoga que guarda o local tradicional da tumba do rei Davi. Uma escadaria que permanece fechada, conecta o cenáculo à Tumba de Davi. Em seu sermão de Pentecostes, São Pedro menciona a Tumba do rei Davi. Intrigante não? "Irmãos, posso dizer-lhes com franqueza que o patriarca Davi morreu e foi sepultado, e o seu túmulo está entre nós até o dia de hoje. Mas ele era profeta e sabia que Deus lhe prometera sob juramento que colocaria um dos seus descendentes em seu trono. Atos 2:29,30

Os franciscanos reivindicam o Cenáculo de Jerusalém e lhes é permitido pelo Estado de Israel celebrar duas missas por ano no local, na quinta-feira quando é recordada a Última Ceia, e em Pentecostes, quando se recorda a descida do Espírito Santo sobre os discípulos.

Um fato histórico e interessante sobre o Cenáculo.

A Coluna da Flagelação, que fica numa capela dentro da Basílica do Santo Sepulcro, ficava exposta originalmente no Cenáculo do Monte Sião, conforme descreveu o Peregrino de Bordeaux. Bonifácio de Ragusa, custódio da Terra Santa, menciona que em meados do século XVI, os turcos a quebraram e ele recolheu o pedaço que está hoje no Santo Sepulcro.

O pelicano. Você sabia disso?

Pode-se ver em algumas pilastras a iconografia do Pelicano Eucarístico, a refeição excelente. Acreditava-se que essa ave, na falta de alimentos para seus filhotes, arrancava sua própria carne do peito para alimenta-los; fato comparado a eucaristia, onde Jesus oferece sua carne e sangue como alimento espiritual para os cristãos. Todo o que come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia. Pois a minha carne é verdadeira comida e o meu sangue é verdadeira bebida. Todo o que come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. João 6:54-56. Essa iconografia é mencionada em hinos litúrgicos. Veja só.

Adoro Te Devote

Pie pellicane, Iesu Domine,

Me immundum munda tuo sanguine.

Cuius una stilla salvum facere

Totum mundum quit ab omni scelere.

Senhor Jesus, bondoso pelicano,

Lava-me, eu que sou imundo, em teu sangue.

Pois que uma única gota faz salvar

Todo o mundo e apagar todo pecado.

Dr. Felipe Silva,

Cirurgião-dentista no Artesania⎪Studio Oral,

É amigo e viaja com Renova Turismo.

"Dr. Felipe considera que a terra de Israel foi agraciada pelo sobrenatural, pelo natural e pelo humano; é sem-segundo quando se trata de paisagens, história, religião e cultura; e oferece todos esses ingredientes àquele que a descreve, em um caldeirão que vem sido mexido e temperado há milênios por mãos humanas e divinas. Para ele, Israel é uma musa de inspiração que convida à sua contemplação e profusa tradução artística. Ele aceitou o convite."

#Cenáculo #Salasuperior #Pentecostes #ÚltimaPáscoa #Jesus #DrFelipeSilva #RenovaTurismo #Dicasdeviagem #Jerusalém #Israel #MonteSião

0 visualização

Renova Turismo 

Rua Orlando Carpino, 326 - Campinas/SP

+55 19 3241-2424 - 19.99470.7207 - 19.99471.8930 - 19.99460.7704

contato@renovaturismo.com.br

 

© 2016 by Renova Turismo. Criação: Endorfina Design