Hagia Sofia, uma anciã impressionante. Parte 01


Emocionalmente Rendido! Sim é assim que você se sente diante de Santa Sofia de Istambul. A Basílica é, sem dúvida alguma, um dos locais mais importantes do cristianismo no mundo. Uma maravilha arquitetônica e histórica de grandesa ímpar que vem resistindo à terremotos, guerras, religiões e governos.

Logo naquela velha entrada, antes dos dois narthex, parei e refleti diante de toda grandeza e significado daquele lugar. Estabelecemos uma conexão emocional e só então adentrei ao prédio milenar.

Se suas grandiosidade, beleza e relevância impressionam hoje, na época da construção sua fama se espalhou mundo afora. O grandioso monumento que vemos hoje é a terceira versão construída no mesmo local pelo Império Romano do Oriente. Foi palco da coroação de reis e maior basílica cristã do planeta durante todo o império bizantino.

A área onde o pavimento é coberto com pedras coloridas criando um design circular entrelaçante chamado omphalion (umbigo em grego), é a seção em que os imperadores romanos orientais foram coroados.

A anciã basílica também é conhecida como Ayasofya em turco, Αγία Σοφία (Hagia Sophia) em grego ou Sancta Sophia (ou Sancta Sapientia) em latin. Por quase mil anos funcionou como Basílica Cristã Grega Ortodoxa, exceto no intervalo entre 1204 e 1261, quando foi convertida em catedral católica durante o Patriarcado Latino de Constantinopla do Império Latino, instituído pela cruzados. Depois foi convertida em Mesquita Imperial e agora, dessacralizada, tornou-se Ayasofya Müzsi (Museu Ayasofya).

Sophia é a transcrição fonética para o latim da palavra grega “sabedoria”, o nome completo em grego é a Igreja Santa Sabedoria de Deus. O templo foi dedicado à Sabedoria Divina e refere-se à incorporação da sabedoria de Deus à segunda pessoa da Santíssima Trindade. Sua festa é celebrada em 25 de dezembro, o aniversário da encarnação do Verbo, o Logos de Deus em Cristo.

A primeira basílica (360 d.C.), coberta com telhado de madeira, foi erguida pelo Imperador Constantino e nomeada Megale Ekklesia (Grande Igreja). Foi incendiada no motim publico do ano 404 d.C. resultado de um desentendimento entre a imperatriz Eudoksia e o patriarca de Istalbul Ioannes Chrysostomos que acabou exilado do país.

A segunda basílica (415 d.C.), também coberta por um telhado de madeira, foi reconstruída pelo Imperador Teodosio II. Sua destruição aconteceu na sangrente Revolta de Nika em 532 d.C.. Durante o reinado do Imperador Justiniano I quando aristrocratas e comerciantes “incendiaram” a população contra o império, a basílica foi destruída e metade dos cidadãos de Istambul foi ceifada, cerca de trinta mil pessoas. Ao lado da atual basílica pode-se ver restos da basílica de Teodósio. Partes pertencentes ao Propylon, a porta monumental e partes com relevos de doze cordeiros correspondentes aos apóstolos de Cristo.

A terceira basílica (537 d.C.), segundo o historiador Prokopios, foi projetada e erguida pelos renomados arquitetos Isidoros de Mileto e Anthemios de Tralles segundo ordens o Imperador Justiniano I. Iniciada em 532 a monumental construção foi consagrada no dia 27 de dezembro de 537. Tempo recorde para época.

Ao adentrar ao majestoso edifício na data de seu primeiro culto, Justiano I exclamou: "-Meu Senhor, obrigado por me dar oportunidade de criar um lugar de adoração", mas, logo a seguir de tão belas palavras, proferiu: "-Salomão, eu superei você", referindo-se ao templo de Jerusalém, construído pelo filho de Davi.

A Santa Sofia combina os três planos basilicais tradicionais com o plano central da abóbada. Se as dimensões são atualmente respeitáveis, imagina para a época. O comprimento do apsi para o narthex exterior é de 100 metros, e a largura é 69,5 metros. A altura da cúpula a partir do nível do solo é 55,60 metros e o raio é 31,87 metros na direção norte a sul e 30,86 metros na direção leste a oeste.

Por ordem do imperador, as províncias romanas enviaram colunas, mármore e peças arquitetônicas para que Santa Sofia atingisse seu tamanho. As grandiosas colunas foram enviadas à Istambul de cidades como Éfeso, Tarso, Aspendo, Baalbek e Tarso.

Os mármores brancos usados ​​na estrutura vieram da Ilha de Marmara, o pórfiro verde da Ilha de Eğriboz, os mármores cor-de-rosa de Afyon e o amarelo do Norte de África.

Os revestimentos decorativos da parede interna foram estabelecidos dividindo blocos de mármore simples em dois e combinando-os a fim criar formas simétricas que são deslumbrante. Tenho certeza que espelhar as placas de mármore é um detalhe que impressiona.

Uma peculiaridade interessante é que a estrutura da nave inclui colunas trazidas do Templo de Artemis em Éfeso, uma das sete maravilhas do mundo antigo. Oito colunas foram trazidas do Egito e suportam as cúpulas. A estrutura tem um total de 104 colunas, 40 na parte inferior e 64 na galeria superior.

Todas as paredes da Hagia Sophia, exceto as cobertas de mármore foram decorados com mosaicos excepcionalmente bonitos. Ouro, prata, vidro, terracota e pedras coloridas foram usados ​​para fazer os mosaicos. Os mosaicos de plantas e geométricos são do século VI, do período iconoclasta.

Istambul foi ocupada por latinos entre 1204 e 1261, durante as Cruzadas, quando tanto a cidade como a igreja foram danificadas, Santa Sofia era conhecida por estar em mau estado.

No ano de 1453, ao conquistar Istambul, o Sultão Mehmed converteu Santa Sofia em uma mesquita. A estrutura foi fortificada e protegida. Mimar Sinan projetou e construiu os quatro minaretes.

Durante o período otomano, dos séculos XVI e XVII, algumas modificações foram realizadas para redesenhar a basílica como mesquita. As lâmpadas de bronze em dois lados do mihrab foram dadas como presentes à mesquita pelo Sultão Suleiman após seu retorno de Budin.

Os dois cubos de mármore Que datam do período helenístico (3 - 4 a.C.) em ambos os lados da entrada principal foram especialmente trazidos de Bergama e foram doados pelo Sultão Murad III.

Os painéis de caligrafia com 8 metros de diâmetro que foram escritos pelo calígrafo Kadıasker Mustafa İzzet Efendi foram colocados nas paredes principais da estrutura. Os painéis que lêem "Allah, Hz. Muhammed, Hz. Ebubekir, Hz. Ömer, Hz. Osman, Hz. Ali, Hz. Hasan ve Hz. Hüseyin " são conhecidos como os maiores no mundo islâmico.

A Hagia Sophia foi convertida em um museu por ordens de Mustafa Kemal Atatürk e tem funcionado assim desde 01 de fevereiro de 1935, dando boas-vindas a visitantes locais e extrangeiros.

Na segunda parte dessa matéria vou mostrar curiosidades e segredos da basílica Santa Sofia em Istambul. Não perca!

Dr. Felipe Silva,

Cirurgião-dentista no Artesania⎪Studio Oral,

É amigo e viaja com Renova Turismo.

"Dr. Felipe considera que a terra de Israel foi agraciada pelo sobrenatural, pelo natural e pelo humano; é sem-segundo quando se trata de paisagens, história, religião e cultura; e oferece todos esses ingredientes àquele que a descreve, em um caldeirão que vem sido mexido e temperado há milênios por mãos humanas e divinas. Para ele, Israel é uma musa de inspiração que convida à sua contemplação e profusa tradução artística. Ele aceitou o convite."

#RenovaTurismo #ViajarcomaRenova #DrFelipeSilva #FelipeSilva #AlexAlves #GuilhermePadilha #Istambul #Istanbul #Turquia #Ayasofya #HagiaSofia #SantaSofia #Basílica #Constantino #Constantinopla #Mármore

0 visualização

Renova Turismo 

Rua Orlando Carpino, 326 - Campinas/SP

+55 19 3241-2424 - 19.99470.7207 - 19.99471.8930 - 19.99460.7704

contato@renovaturismo.com.br

 

© 2016 by Renova Turismo. Criação: Endorfina Design